Roma e a prostituta de Apocalipse 17

A profecia seguinte tem algo a ver com a Igreja Católica Romana (Igreja Católica Romana)?

(AP 17:1) – E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas;
(AP 17:2) –  Com a qual se prostituíram os reis da ter e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição.
(AP 17:3) –  E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres.
(AP 17:4) –  E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição;
(AP 17:5) –  E na sua testa estava escrito o nome: MISTÉRIO, A GRANDE BABILÔNIA, A MÃE DAS PROSTITUIÇÕES E ABOMINAÇÕES DA TERRA.
(AP 17:6) –  E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração.

Quando Dave Hunt publicou, em 1994, seu livro (A Woman Rides The Beast”  [N.T. – por mim traduzido como “A Mulher Montada na Besta], o qual identifica a prostituta religiosa do Apocalipse 17 como  sendo o Catolicismo Romano, este gerou muita controvérsia. O livro de Hunt foi colocado na lista negra de alguns líderes e importantes ministérios evangélicos, inclusive do CRI (Christian Research Institute – Instituto de Pesquisa Cristã: [conhecido ministério apologético fundado por Walter Martin (inicialmente batista regular), denunciando e combatendo muitas seitas mas não o catolicismo nem o pentecostalismo “conservador”]). Nas transmissões radiofônicas do Bible Answer Man, Hank Hanegraaff [apologeta, inicialmente presbiteriano, autor do livro Cristianismo em Crise, denuncia e combate muitas seitas mas não o catolicismo nem o pentecostalismo “conservador”] afirmou ser ridículo identificar a Igreja Católica Romana como a prostituta religiosa do Apocalipse 17. Esta controvérsia é relativamente nova.

Durante mil anos ou mais, os batistas, os presbiterianos e os fundamentalistas identificaram Roma  como a prostituta do Apocalipse 17. Considerem os seguintes exemplos:

No final do SÉCULO NOVE, Fergundus, Bispo de Treves, chamou o papa de ‘Anticristo, sim, um lobo, e Roma, Babilônia’ (Martyrs Mirrrow, 5ª. edição inglesa, p. 240).

No SÉCULO DEZ, Arnulphus, Bispo de Orleans, durante todo um concílio em Reims, chamou o papa de Anticristo. (Peter Allix, The Ecclesiastical History of the /ancient Churches of Piedmont, 1821, p. 229).

No SÉCULO ONZE, Berenger de Tours denunciou os dogmas de Roma e declarou que a Igreja Católica Romana era a Sé de Satanás (George Faber, The History os the Ancient Waldenses and Albigenses, 1838, p. 159).

Os Valdenses – Durante a maior parte de sua longa história, identificaram o papa como o Anticristo. O tratado valdense de título “Nobre Lição”, datado de 1100 dC, declarou “o Anticristo, o predito assassino dos santos, já apareceu em seu verdadeiro caráter, assentado monarquicamente, na cidade das sete colinas”Em 1120 ou 1160, “A Treatise Concerning Antichrist” [Um Tratado Concernente ao Anticristo] identificou o papa de Roma como o Anticristo. George Faber identificou tal tratado como uma produção de Peter de Waldo (Faber, pp. 379-384).

Em 1206, na conferência de Montreal, os ALBIGENSES fizeram a seguinte confissão: “Que essa Igreja de Roma nunca foi a esposa de Cristo, mas a igreja da confusão, embriagada com o sangue dos mártires. Que o propósito principal da Igreja de Roma nunca foi bom nem santo, nem estabelecido por Jesus Cristo”. (Peter Allix, “The Ecclesiastical History of the Ancient Churches of the Albigenses”, edição de 1821, publicada primeiramente em 1692, p. 178).

Os Irmãos Boêmios – Mantinham as seguintes crenças, conforme o inquisidor romano (esta descrição usa material do século 13): “O primeiro erro, ele disse, é que a Igreja de Roma não é a Igreja de Jesus Cristo, mas uma assembleia de homens malignos, e [é] a prostituta que se assenta sobre a besta do Apocalipse… Eles declaram que o papa é o cabeça e líder principal de todos os erros”  (Allix – “The Ancient History of the Ancient Churches of Piedmont”,pp. 252-259).

Os Lolardos dos Séculos 14 e 15 – mencionavam “que a Igreja de Roma nunca foi a Igreja de Cristo, mas de infiéis e pagã e desprezavam todas as leis eclesiásticas, junto com todo os bispos e ministros da Igreja” (Allix, “The Ecclesiastical History of the Ancient Churches of the Albigenses”, p. 230).

Os Petrobusianos – Mencionavam o papa como o Anticristo (Ibid, p. 142).

Durante toda a ERA DA REFORMA, Roma foi considerada a Mãe das Prostituições. Em 09/09/1560, o pastor Jean Louis Paschale, da Calábria, pouco antes de ser queimado vivo na presença do papa Pio IV, em Roma, virou-se para o papa e o acusou como o inimigo de Cristo, perseguidor do seu povo e o Anticristo da Escritu e concluiu, convocando [como oficial de justiça] a ele e aos seus cardeais para responderem pelas suas crueldades e assassinatos, diante do trono do Cordeiro” (J. A. Wyllie, “History of the Waldenses”, c. 1860, p. 120).

Todos os líderes da Reforma consideravam o papa como sendo o Anticristo, inclusive Martinho Lutero, João Calvino, John Huss e seus sucessores, nos séculos 16, 17, 18 e 19, tendo nisso persistido.

William Tyndale –  O Tradutor da Bíblia – identificou o papa como o Anticristo em seu tratado “The Practice of Prelates” e também no prefácio da edição de 1534 do seu Novo Testamento.

Muitas das antigas Bíblias protestantes continham dramáticos marcadores de madeira, retratando a Mulher Vestida de Escarlata, do Apocalipse 17, identificando-a claramente com a Igreja Católica Romana e com o seu sistema religioso apóstata. A Bíblia de Genebra de 1560 é um exemplo. As notas sobre o Apocalipse 17 diziam: “A Besta significa uma Roma anti a mulher que se assenta sobre ela, a Nova Roma que é o Papado, cuja crueldade e derramamento de sangue são declarados pela cor escarlate e é cheia de idolatrias, superstições e desprezo pelo Deus verdadeiro… Esta mulher é o Anticristo, ou seja, o Papa, com o completo corpo de suas imundas criaturas, conforme exposto no verso 18” .

De fato, era tão normal que no Século 16 os dissidentes rotulassem Roma e o Anticristo como sendo a Prostituta do Apocalipse 17, que, em 1516, o Papa Leão X editou uma bula papal proibindo os pregadores de mencionar o assunto do Anticristo em seus sermões. (M’Crie, “Reformation in Italy”, p. 20).

Esta situação [de perceber e denunciar que a Igreja de Roma é a prostituta do Ap 17, é o anticristo] continuou a existir universalmente entre os protestantes e os batistas durante todo o Século 19 e ainda boa parte do Século 20. Em sua obra de 1893 intitulada “Union With Rome”, o Bispo Christopher Woodsworth da Igreja da Inglaterra, declarou a visão que prevalecia entre os protestantes, naquele tempo: “Nós trememos ante a visão, quando lemos a inscrição em forma de brasão, em letras grandes: ‘Mistério, Babilônia a Grande’, escritas pela mão de São João, guiado pelo Espírito Santo de Deus, na fronte da Igreja de Roma”.

Estes exemplos poderiam ser dados em multiplicação quase interminável.

Além disso, grande número de crentes da linha antiga (protestantes, batistas e fundamentalistas) continuam, ATÉ HOJE,  a identificar a Igreja Católica Romana Roma com o Apocalipse 17. Não temos dúvida de que a Igreja Católica Romana é o parcial cumprimento da profecia do Apocalipse 17 sobre a prostituta religiosa mundial.  Isso não quer dizer que o Apocalipse 17 tenha sido totalmente cumprido no Catolicismo Romano. A profecia não será concluída, até que o Anticristo e Roma se juntem, numa conglomeração com outras  igrejas e organizações, pouco antes da volta do Senhor, como o resultado final do Movimento Ecumênico.

A prostitua religiosa do Apocalipse 17 está alinhada com o Anticristo (Comparem Apoc 17:3 com Apoc 13: e, como o Anticristo, ela tem duas facetas: a histórica (atual) e a profética.

Na 1 João 2:18, o apóstolo diz: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora”.

Desse modo, existem dois aspectos do Anticristo: o Anticristo como indivíduo singular, o qual vai emergir no futuro e governará o mundo por um breve período, durante a Grande Tribulação, pouco antes da volta de Cris e também os anticristos, no plural, os quais têm estado no mundo, desde o início da dispensação das igrejas.

De igual modo, a prostituta do Apocalipse 17 tem dois aspectos. Existe um sentido em que ela tem existido durante toda a dispensação das igrejas, e outro em que ela se levantará durante a Grande Tribulação.

Embora ela não cumpra a profecia na totalidade, é curioso o fato de que cada característica desta prostituta religiosa pode ser encontrada na Igreja Católica Romana. Ela tem governado o mundo, através de toda a história, cavalgando montada sobra as costas dos re ela se veste com roupas suntuosas e se atavia com adereços dispendiosos. Ela se assenta sobre sete montes, é cheia de abominações e tem um cálice de ouro. Certamente ela está embriagada com o sangue dos mártires, enquanto os habitantes do mundo estão embriagados com o vinho de sua fornicação. Incontáveis multidões de pessoas enganadas de praticamente todas as nações, acompanham, cegamente, os erros e a glória  da falsa religião de Roma.

É curioso é que até mesmo a própria Roma tem entendido ela é o cumprimento desta profecia: “Em 1825, o Papa Leão XII cunhou uma moeda, contendo de um lado a própria imagem e do outro, a Igreja Católica Romana, simbolizada pela “Mulher”, segurando na mão esquerda uma cruz e na mão direita um CÁLICE com a legenda: ‘Sedet Semper Universum’ (O mundo inteiro é o seu assento) (Alexander Hislop, ‘The Two Babilons’”).

Vejamos a seguir [[nas próximas postagens]] algumas [[13]] maneiras pelas quais a igreja prostituta se identifica com Roma:

1) – A LOCALIZAÇÃO DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 “… As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.

João retrata a prostituta assentada sobre sete montes, a qual a maioria dos protestantes antigos e os fundamentalistas de hoje identificam como sendo a cidade de Roma:

“A mulher é uma cidade  e esta cidade é Roma, a capital religiosa do mundo… Roma foi a cidade edificada sobre sete montes e era assim conhecida, tanto pelos escritores pagãos como pelos cristãos… Ovídio disse: ‘Dos seus sete montes, Roma brilha ao redor de todo o globo, assento do império e habitação dos deuses’… Ela é a Roma religiosa, a qual neste tempo terá herdado todas as religiões do mundo… Ela vai atingir o objetivo dos apóstatas do tempo atual de todos os grandes sistemas [religiosos] do mundo: Romanismo, Protestantismo, religiões pagãs, seitas e outros ismos” (J. Vernon McGee – Revelation (Apocalipse). )

[N.T.: Vá na biblioteca da maior universidade, que tenha o melhor curso de História de seu estado, e pesquise em todas as melhores enciclopédias e livros, e pesquise na Internet, e verá que já era costume comum nos séculos antes de Cristo que todas as pessoas morando no Império Romano se referissem à cidade de Roma como a Cidade dos Sete Montes. Este costume perdurou desde então até hoje, por mais de 20 séculos.
Um exemplo que Hélio me contou: em 1975, Pr. Otoniel Feliciano Mendes ganhou uma passagem para um congresso fundamentalista do ICCC (International Council of Christian Churches), presidido pelo Pr. Presbiteriano Fundamentalista Dr. Carl MacIntire, em Nairobi, Quênia. Otoniel relatou, admiradíssimo, que seu avião fez escala em Roma, o comandante, como era de praxe, anunciou que estavam sobrevoando a cidade que, desde o passado remotíssimo e ainda agora, era conhecida por todos como qua cidade dos sete montes. Hélio também me contou que, há uns 3 anos atrás, seu genro Antônio F. Leal passou uma semana em Roma, e todos os guias turísticos e habitantes locais sempre faziam questão de lhe dizer semelhante coisa. Enfim, não pode haver dúvida que, ao se referir à cidade “dos sete montes”, a Bíblia se refere a Roma].

2) – O CARÁTER DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 – A grande prostituta (Apocalipse 17:1).

Esta é a verdade sobre Roma, tanto espiritual como literalmente.

Desde a sua concepção, a Igreja de Roma tem cometido prostituição espiritual com os governantes pagãos e com os poderes demoníacos do mundo. Ela se aliou a Constantino, na antiguidade, e, em desobediência [a Deus], tem, desde aquele tempo, se afiliado com governos pagãos.

A Igreja Católica Romana tem se associado também com a imoralidade [no sentido mais lato do termo. Seus papas são imorais]. Até mesmo os seus próprios livros de história descrevem a inenarrável vileza dois “santos papas”, embora sem contar toda a história.

Martinho Lutero visitou Roma, esperando ali encontrar o quartel general da santida mas, após sua visita, ele testificou: “Se existe um inferno, certamente Roma está edificada sobre ele”.

Papa João XII – (955-963) – É descrito pela Enciclopédia Católica como tendo sido “um homem obsceno [de palavras] e imoral [em preceder], cuja vida foi tal que o Palácio de Latrão ficou conhecido como um bordel”.

Papa Bento IX – (1032-1045) – Foi um assassino e adúltero. A Enciclopédia Católica   admite que ele tenha vivido “uma vida dissoluta”.

Papa Pio II – (1458- 1464) –  Teve dois filhos ilegítimos.

Papa Sixto IV – (1471-1484) – Edificou um bordel [casa de prostituição] em Roma.

Papa Inocêncio VIII –  (1484-1492) –  Teve pelo menos dois filhos ilegítimos, os quais ele elevou a posições de autoridade e riqueza, dentro da Igreja Católica Romana.

Papa Alexandre VI – (1492-1503) – Teve pelos  menos quatro filhos ilegítimos, os quais ele tornou ricos, através de nomeações. Ele fez do seu filho César Bórgia um cardeal, quando este tinha apenas 18 anos e idade. César foi um homem imoral e violento, tendo condenado o próprio irmão à morte e também o marido de sua irmã Lucrécia Bórgia. Alexandre realizava indescritíveis orgias em seu palácio e mantinha amantes que eram mulheres casadas. Morreu de sífilis [Leiam Gálatas 6:7 “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gl 6:7 ACF) ].

Papa Júlio II – (1503-1513) – Teve pelo menos três filhos ilegítimos.

Os padres de Roma têm sido imorais. Eles fazem voto de celibato, mas não o cumprem. Em sua obra “The Priest, The Women e and the Confessional”, Charles Chiniqui, um ex-padre, documenta a vileza moral associada à prática da confissão da Igreja Católica Romana, como e isso é apenas a ponta do iceberg.

Até o exato dia de hoje,  a Igreja Católica Romana tem dado um testemunho imoral. No mundo inteiro, seus padres são conhecidos pela sua homossexualidade e pelo abuso de crianças. Nos últimos anos, a Igreja Católica Romana tem gasto milhões de dólares, para anular casos levados aos tribunais, contra os padres homossexuais e molestadores de crianças.

Em 2004, um estudo feito nos Estados Unidos, descobriu 11.757 casos de abusos sexuais envolvendo 5.148 padres. O estudo também revelou que a Igreja Católica Romana tem gasto pelo menos um bilhão de dólares nos processos legais e em tratamento visando a recuperação de padres. Estes estudos envolvem apenas metade dos padres nos Estados Unidos.

A Arquidiocese de Portland e a de Tucson foram à falência, em 2004.

Segundo o bispo católico romano, Pat Buckley, estudos têm mostrado que 80% dos padres católicos na Irlanda têm quebrado os votos de celibato. Ele estima que pelo menos 1 em cada 10 dos 5.000 padres têm mantido relacionamentos secretos com mulheres (500 Irish Priests Having Regular Sex with Women (“500 Padres Irlandeses Regularmente Têm Sexo com Mulheres”), London News Telegraph, 21/01/2006). Buckley diz que a estimativa de 1 em cada 10 “é uma estimativa extremamente conservadora” e que se ela fosse ampliada a fim de incluir [padres que são] ‘homossexuais praticantes’, A ESTIMATIVA PODERIA ULTRAPASSAR OS 40% DE PADRES QUE SÃO SEXUALMENTE ATIVOS”. Buckley opera um ministério chamado Bethany, o qual aconselha mulheres que se envolveram com padres. Ele d “De alto a baixo predomina a hipocrisia. Estamos pregando o celibato compulsório, mas pouquíssimos o estão vivendo”. Ele descreve como é comum a prática dos padres e suas governantas viverem como marido e mulher e que o relacionamento entre padres  e freiras é tão comum que chega a ser extra oficialmente chamado de “a 3ª via”.

3) – O ALCANCE MUNDIAL DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 – “Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas” (AP 17:1-b). [N.T.: Em Apocalipse, “a terra” frequentemente se refere a Israel, e “as águas” se refere às nações dos gentios.]

Não importa onde se possa chegar, neste mundo de trevas, os tentáculos da Igreja Católica Romana têm se estendido até ali.

Além disso, ela se ocupa em ampliar sua influência, trabalhando em conjunto com as denominações cristãs e [também com as] religiões pagãs do mundo. Uma declaração feita nas últimas décadas por Michael Ramsey, o Arcebispo de Canterbury, líder das Igrejas Anglicana e Episcopal, mostra como o Movimento Ecumênico tem avançado em direção a uma reconciliação [dos maus batistas, protestantes e pentecostais] com Roma. Em 07/08/1977, Michael Ramsey disse que aceitaria o papa como “Bispo Presidente” [Supremo] de uma “igreja” unificada (Focus, julho/agosto 1988, p. 5), Ramsey também disse: “Gostaríamos de ver as igrejas da Inglaterra, Escócia, Estados Unidos e de quaisquer outros países se agregarem em um só corpo. Se o papa quisesse ser recebido como o seu presidente, nós lhe daríamos as boas vindas”. (Why Were Our Reformers Burned? [“Por Que Foram Queimados Nossos Reformadores”] ) [N.T. Esses prelados “pelados” em matéria de fé bíblica são os anjos decaídos deste mundo].

Meus livros – “Evangelicals and Rome” [Os Evangélicos e Roma] e “The Contemporary Worship Music” [“”A Música de Adoração Contemporânea”] documentam o movimento de volta a Roma, o qual que cresce dentro de praticamente cada segmento do Protestantismo.

Não somente as denominações cristãs apóstatas estão voltando a Roma, como também as religiões pagãs. Pelo menos duas assembleias gerais do World Council of Churches – WCC (Concílio Mundial de Igrejas – CMI) têm incluído preletores budistas, hinduístas, rabinos judeus, muçulmanos, sikhs, índios americanos nativos e aborígenes australianos. Altares pagãos têm sido erigidos e ofertas de fogo realizadas, em honra aos deuses pagãos [nos eventos do CMI]. “Ecumênico” significa “universal”, “mundial”,  e o atual movimento de unificação da Cristandade, representado por grupos como o CMI, oferece uma visão antecipada da apóstata “igreja mundial”. O próprio CMI de fato é mundial, sendo composto de mais de 300 denominações, representando 500 milhões de pessoas em 100 nações. Este grande corpo da Cristandade apóstata já se tornou um em espírito com as Igrejas Católicas de Romana e Grega Ortodoxa,  até reconhecendo a assim chamada espiritualidade das religiões não cristãs.

A emergente “igreja prostituta” foi vista em 24 de janeiro de 2002, quando o papa João Paulo II liderou o Terceiro Dia de Oração Pela Paz, em Assis, Itália (o primeiro foi realizada em 1986, e o segundo em 1993). A oração interfé de 2002 reuniu cerca de 200 líderes religiosos, incluindo os representantes das denominações “cristãs” (católica romana, ortodoxa, anglicana, reformada, batista, luterana, mórmon, menonita), como também representantes do islamismo, judaísmo, budismo, sikhísmo, bahai, confucionista, xintoísta, hinduísta, jainista,  zoroastrista e membros das “tradicionais” religiões nativas africanas e da América do Norte. Proeminentemente destacados e enfatizados, ali compareceram 29 líderes muçulmanos de países como Arábia Saudita, Irã, Iraque, Egito, Sudão, Marrocos e Líbia, todos estes, em alto grau, perseguidores dos cristãos. Então, já existe uma “igreja” prostituta em formação, assentando-se sobre muitas águas. [N.T. – Com a Igreja Católica Romana sempre dando as cartas, todas as denominações ecumênicas convergindo para ela].

O alcance mundial da Igreja Católica Romana tornou-se evidente no funeral do Papa João Paulo II, em abril de 2005.  A enorme manchete na primeira página da edição  de 08/04/2005 do jornal Evening Standard de Londres, Inglaterra, anunciou: “UNITED BY THE POPE” [“UNIDOS PELO PAPA”], e isto resume tudo. E muito significativo foi o que Cláudia Ribeiro do Santos, uma freira brasileira, que assistia ao funeral do Papa, observou:  “O mundo  inteiro está aqui. João Paulo II derrubou os muros de separação dos países, das classes, e das religiões”. Conforme o London Times observou:  “Isto não apenas reflete o carisma do papa falecido, mas também um entendimento da Igreja Católica Romana com o crescimento do Ecumenismo” (London Times, 07/04/2005). Este funeral chamado “o maior já visto no mundo” foi visto na TV por 2 bilhões de pessoas. Foi  o primeiro funeral assistido por 200 líderes mundiais, incluindo 70 presidentes e primeiros ministros. Foi o primeiro funeral papal assistido por um Arcebispo de Canterbury [máxima posição da igreja anglican o primeiro assistido por um Primeiro Ministro Britânico; o primeiro assistido por um futuro monarca da Inglaterra (o Príncipe Charles, que ali esteve, representando a Rainha). Foi o  primeiro esquife, diante do qual um presidente dos Estados Unidos se ajoelhou (The Times, Londres, 07/04/2005, p. 36) e o primeiro funeral papal a reunir um atual e um ex-presidente dos Estados Unidos. [N.T. – As hordas infernais exercem uma atração irresistível sobre a humanidade!]

Já existe uma igreja prostituta em formação, assentando-se sobre muitas águas [as nações dos gentios.].

4) – O ÍMPIO EFEITO DA PROSTITUTA SOBRE OS HOMENS A IDENTIFICA COM ROMA

 – AP 17:2: “Com a qual se prostituíram os reis da ter e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição”.

A religião apóstata permite que os homens continuem usufruindo seus prazeres pecaminosos, conquanto tendo uma forma de religião, a fim de apaziguarem suas consciências culpadas.

O termo “fornicação” visto no AP 17:2 refere-se ao poder de sedução do sistema romanista, no sentido de afastar as afeições humanas de Cristo, o Qual é o único verdadeiro e próprio recebedor da fé do coração”. [“Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, … .” (Heb 12:2 ACF)] [“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em MIM tem a vida eterna.” (Jo 6:47 ACF)]. “O padre se coloca entre o coração e o bendito Senhor; a Bíblia é camufla a mente de Deus é desconhecida e as pessoas são intoxicadas com as excitantes falsidades dela [a Igreja de Roma], passando a adorar algo que não conhecem” (History of The Church, Miller).

A atração da Cristandade apóstata sobre as pessoas do mundo (a despeito do fato dessa Cristandade ter constantemente desacreditado a si mesma) causa espanto ao ser contemplada. Isto é ilustrado pela atração sobrenatural que o mundo [ímpio] tem pelo papa. Até mesmo a imprensa secular e humanista dá ao papa de Roma grande aclamação, algo que ela não costuma dar a qualquer outro líder cristão.

Sobre a viagem do papa João Paulo II à América do Sul, em 1980. o Times Magazine disse: “O pontífice nascido polonês  comprovou sua presença carismática, atraindo uma multidão de um milhão ou mais de pessoas, em pelo menos seis ocasiões”.

Após a primeira visita feita por um papa à América, o Times Magazine grasnou: “Um pastor gentil, com uma férrea vontade, João Paulo II emocionou os Estados Unidos com uma gloriosa peregrinação, a qual ganhou corações – e desafiou a nação. … Depois de apenas um ano de ofício, o pontífice está emergindo como uma espécie de líder incandescente, pelo qual o mundo tem tanta fome… Alguém que pode fazer com que as pessoas sintam que foram exaltadas acima das contingências de suas vidas, mostrando que elas são capazes de emoções melhores e de melhores ações do que possam ter imaginado”.

Muitas pessoas têm sido pisoteadas até à morte, no meio das grandes multidões que têm afluído para ver o papa, durante as suas viagens pelo mundo. Em 1980, nove pessoas morreram e dúzias delas foram hospitalizadas na África, enquanto três morreram e 30 ficaram feridas, em El Salvador. Estas multidões enganadas estão embriagadas com o  vinho da “igreja” prostituta.

Que a atração sobrenatural que o ofício papal está aumentando dramaticamente, nas últimas décadas, tornou-se evidente durante o funeral do Papa João Paulo II em abril de 2005.

[Como já dissemos,] a enorme manchete na primeira página da edição de 08/04/2005 do jornal Evening Standard de Londres, Inglaterra, anunciou: “UNITED BY THE POPE” [“UNIDOS PELO PAPA”], e isto resume tudo. E muito significativo foi o que Cláudia Ribeiro do Santos, uma freira brasileira, que assistia ao funeral do Papa, observou: “O mundo  inteiro está aqui. João Paulo II derrubou os muros de separação dos países, das classes, e das religiões”.

A atração mundial pela Cristandade apóstata vai continuar a crescer, à medida em que se aproxima a Grande Tribulação. Finalmente, o [falso] profeta do Anticristo [que é o supremo líder da religião mundial] vai desempenhar o seu grande papel:
(AP 13:11) – “E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordei e falava como o dragão.
(AP 13:12) –  E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada.
(AP 13:13) –  E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.
(AP 13:14) –  ;E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.
(AP 13:15) –  foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.
(2 Tessalonicenses 2:11) “E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira
(2 Tessalonicenses 2:12): Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade”.

5) – O ILÍCITO RELACIONAMENTO DA PROSTITUTA COM O GOVERNO CIVIL A IDENTIFICA COM ROMA

 – (Apocalipse 17:2: Com a qual se prostituíram os reis da terra e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição”.

Os apóstolos jamais se juntaram com o governo secular. Eles se dedicavam em estabelecer igrejas e o seu princípio era que a igreja tem o seu negócio e o estado tem o dele. (Romanos 13:1-7).

Paulo escreveu:  (Romanos 13:1) – ;“Todo homem esteja sujeito às autoridades superior porque não há autoridade que não proceda de Deus e as autoridades que existem foram por ele instituídas”.
(Romanos 13:2) – ;Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de De e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.”
(Romanos 13:3) – Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade? Faze o bem, e terás louvor dela”.
(Romanos 13:4) – Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador para castigar o que faz o mal.”
(Romanos 13:5) – “Portanto é necessário que lhe estejais sujeitos, não somente pelo castigo, mas também pela consciência.”
(Romanos 13:6) – “Por esta razão também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo sempre a isto mesmo”.
(Romanos 13:7) – ;“Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, tem a quem honra, honra”.

Paulo escreveu na 2 Coríntios 6:14-15: Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?

Agindo ao contrário, a Cristandade apóstata não hesitou em se unir a homens ímpios, a fim de atingir os seus objetivos.

Durante a Era das Trevas a Igreja Católica Romana aliou-se ao governo secular e, muitas vezes, até governou sobre ele.

Em 1302, o Papa Bonifácio VII emitiu uma bula papal intitulada “Unam Sanctam”, na qual afirmava que ninguém poderia ser salvo sem submeter-se ao papa como o supremo cabeça da igreja, exigindo que todos os reis e autoridades terrenas lhe ficassem sujeitos.

O Papa Gregório VII  humilhou o Imperador Henrique IV. Em 1076, o papa convocou um concílio de bispos e proclamou que o imperador não poderia mais governar o seu reino. Em janeiro de 1077, Henrique viajou até o castelo da Duquesa Matilda, na Itália, onde o papa se encontrava, a fim de pedir-lhe perdão. O orgulhoso papa forçou o imperador a permanecer do lado de fora, exposto ao frio do inverno, descalço e em jejum, durante três dias.

O Papa Inocêncio III humilhou o Rei João da Inglaterra (1199-1216). Quando ele se desagradou do rei, excomungou-o e fez um decreto declarando que ele já não era rei, desobrigando o povo inglês de ser-lhe submisso. Este orgulhoso papa ordenou que o Rei Filipe da França convocasse o exército e a marinha para destronar o Rei João, tendo Filipe começado a fazê-lo, com muito empenho, ansioso para conquistar a Inglaterra para ele mesmo. O papa convocou uma cruzada contra João, prometendo aos participantes remissão de [todos os seus] pecados e compartilhamento dos despojos de guerra. Diante disso, o Rei João submeteu-se à pressão do papa, declarando total lealdade ao mesmo em todos os sentidos, entregando a Inglaterra e a Irlanda nas mãos do Papa.

O Papa Inocêncio XII também humilhou Raymond VI, Conde de Toulouse, França. Raymond era católico romano, mas favorecia os valdenses, tentando protegê-los da ira papal. O papa excomungou-o, ameaçou-o, amaldiçoou-o e convocou uma cruzada contra ele. Aos que responderam foi prometido o perdão de [todos os seus] pecados e o cancelamento de todas as suas dívidas e, no caso de morrerem em combate, que iriam todos diretamente para o Céu. Centenas de milhares aceitaram [a convocação]. Quando Raymond viu que estava cercado por uma tamanha multidão armada, logo submeteu-se. Ele compareceu diante do representante do papa. Uma corda segurada por um bispo foi-lhe atada ao pescoço e Raymond foi espancado nas cosas nuas, até ficar todo encharcado de sangue. Em seguida, os 300.000 cruzados do papa invadiram seus territórios e aniquilaram todos os valdenses (também chamados albigenses).

É impossível descrever as barbaridades cometidas contra essas pessoas. Umas 100.000 foram assassinadas somente na cidade de Beziers. Em outra cidade, arrancaram fora os olhos de 100 dos seus defensores [crentes].  400 “hereges” foram queimados vivos, juntos, numa fogueira, enquanto os padres escarneciam deles e cantavam “Vem Espírito Santo”. Em Merindol, 500 mulheres foram trancadas num celeiro, ao qual os cruzados atearam fogo.

A Igreja Católica Romana ainda continua de mãos dadas com os governos seculares. Ela mantém centenas de embaixadores nas nações.

As igrejas protestantes estatais, na Europa [dezenas delas, uma em cada país da Europa protestante, a começar pela luterana na Alemanha, calvinista na Suíça, anglicana na Inglaterra, presbiteriana na Escócia, reformada na Holanda, etc.] juntaram-se com o governo secular [muitas vezes até o dominando] em suas heréticas [pois que contrárias ao Novo Testamento] “igrejas- estado”.

O CMI (Conselho Mundial de Igrejas] opera intimamente com os governos seculares, no objetivo de construir o “Reino de Deus” no mundo atual.

6) – A BLASFÊMIA DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 –  AP 17:3-b: “e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres”.

A Igreja Católica Romana é, de fato, cheia de blasfêmia, tendo se exaltado ao lugar de Deus, na vida das pessoas.

Os títulos do papa de Roma são todos blasfemos. Ele se auto-intitula “Santo Pai” e “Sua Santidade”, nomes que pertencem exclusivamente ao Deus Todo-Poderoso [“E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.” (Mt 23:9 ACF) “Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.” (Ap 15:4 ACF)]. Ele se auto-intitula “Vigário de Cristo”, um ofício que pertence exclusivamente ao Espírito Santo. [N.T.: “Vicário “em do latim “vicarius” e significa “o que faz às vezes de outro” ou “o que substitui outra coisa ou pessoa”.] [“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;” (Jo 14:16 ACF)] [O Papa, querendo ser o vicário de Cristo, quer ser igual a Deus. Compare com outro que quis o mesmo: “Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.” (Is 14:14 ACF)]

Os padres romanos também assumiram os mesmo títulos, exigindo ser chamados “padres” [isto é, pai], um título proibido por Cristo. Eles são ordenados segundo a Ordem de Melquisedeque, um ofício que pertence exclusivamente a Cristo. [“Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. (Hb 6:20 ACF)]

A exaltação de Maria [pela Igreja de Roma] é outro exemplo de blasfêmia. No Século 19, o Deão John Burgon observou corretamente que “Maria pode ser simplesmente descrita como a Divindade “guardiã” da [Igreja de] Roma moderna.” A verdade é que Maria se encontra em toda parte, em Roma. Muitíssimas igrejas são nomeadas em sua honra, mostrando estátuas e pinturas dela. Essas igrejas celebram fábulas sobre o seu nascimento sem herdar o pecado [nem a natureza pecaminosa] de Adão, sua apresentação no templo, sua assunção [aos céus, sem experimentar a morte] e sua coroação como “Rainha do Céu”.

Considere a [Basílica Papal de] Santa Maria Maggiore (“a Maior Santa Maria”), a maior igreja católica mariana em Roma, construída para honrar Maria [não Deus, não Cristo] como a “Mãe de Deus”. O prédio tem um enorme mural de mosaico, representando Maria sentada à mão direita de Jesus, sobre o trono dEle, e por Ele sendo coroada como a Rainha do Céu. Uma inscrição em latim, diz [tradução]: “A Virgem Maria se assentou no seu lugar de habitação no Céu, onde se assenta o Rei dos Reis, em seu trono coberto de estrelas. A Santa Mãe de Deus é exaltada no Reino do Céu, sobre os coros dos anjos.” Cristo tem, em Suas mãos, um livro aberto, mostrando Sua Mãe, no qual estão escritas em Latim as palavras: ‘Vinde, meus amados, e eu vos colocarei no meu trono!” [N.T. – que mentira, que lorota boa!!!]

Outra imponente imagem de Maria na mesma  igreja é chamada “Maria, Rainha da Paz”. Nesta imagem Maria é vista segurando o Menino Jesus com um braço, enquanto com o outro abençoa os fieis. Em um dos santuários das capelas da Igreja de Maria lemos a inscrição: “Salus Populi Romani”  (Saúde ao Povo Romano). Na parte de fora da Igreja de Santa Maria Maior, ela é sempre mostrada cravada na cruz junto com Jesus! A grande cruz mostra Jesus pendurado de um lado [a frente] da cruz, e mostra Maria coroada e pendurada do outro lado [as costas da cruz]. [N.T. – E como uma gravura vale mais do que mil palavras, os hierarcas romanos conseguem impressionar rapidamente as pessoas sobre o papel co-redentor da Mãe de Jesus].

A Igreja de Santo Estanislau Kostka, em Chicago, mostra uma imagem de Maria assentada sobre a Arca de Deus, rodeada de anjos adoradores. Trata-se de uma grande blasfêmia, pois a Arca era o lugar onde o Deus Yaveh habitava, no Tabernáculo.

Na “Igreja da Mãe de Deus, dos Mártires Poloneses”, em Varsóvia, Polônia, Maria está também rodeada pelos 12 apóstolos, que a estão adorando, em vez de adorarem o Senhor Jesus Cristo. [N.T. – Uma das características da Mariolatria é exaltar Maria acima de Jesus].

7) – AS VESTES DA PROSTITUTA A IDENTIFICAM COM ROMA

 – AP 17:4-a: “E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata ;…”
Os apóstolos e cristãos da igreja primitiva eram humildes crentes na Bíblia, os quais viveram com simplicidade e não seguiram o estilo de vida dos líderes das religiões do mundo. A igreja prostituta, ao contrário, ama catedrais imponentes, longos vestidos coloridos, magnífico ritualismo, caríssimas vestes, acessórios e ornamentos eclesiásticos.

Apocalipse 17:4 descreve exatamente como os bispos e os arcebispos e cardeais e papas romanos se vestem, até os dias de hoje. Em 2003, assisti a uma missa na Catedral de São Paulo, em Roma, na qual os bispos estavam vestidos de escarlate. Um ano depois, vi uma transmissão na TV da missa do Natal, no Vaticano, a qual missa mais parecia um mar de púrpura e escarlate. Depois que João Paulo II faleceu, o Colégio de Cardeais, que se reuniu para eleger um novo papa, estava vestido de escarlate.

Enciclopédia Católica descreve os adereços do clero católico…
Cappa Magna é uma capa com uma longa cauda e com um capuz sobre a cabeça e o ombro. Sua cor é a lã púrpura para os bispos, seda escarlate para cardeais, e veludo vermelho para o papa.
batina é um robe [usualmente preto] relativamente justo, tendendo para apertado, de comprimento descendo até os tornozelos, cuja cor [da batina] é roxa para os bispos e escarlate para os cardeais.

8) – A RIQUEZA DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 – AP 17:4-b: “e tinha na mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição”.

Trata-se de uma exata descrição das riquezas da Igreja Católica Romana.  Ela também descreve, literalmente, o ouro e as joias com as quais a Igreja Católica Romana tem-se ataviado.

Considerem esta descrição da coroação do papa Gregório IX (1227-1241): “No dia de sua coroação, ele seguiu para [a Basílica de] São Pedro, acompanhado de vários prelados, e assumiu o pálio, conforme era o costume.”  [N.T.: O pálio (derivado do latim pallium ou palla, um manto de lã) tem dois sentidos na Igreja de Roma: (1) é uma suntuosa vestimenta eclesiástica originalmente peculiar, exclusiva do Papa, mas que, hoje, ele pode, se quiser, conceder a alguns dos arcebispos metropolitanos (isto é, arcebispo de uma das principais cidades de uma província romana históric (2) uma faixa (banda) circular de cerca de dois centímetros de largura, usada ao redor do pescoço e sobre peito e ombros, tendo dois pingentes, um pendurado na frente e outra atrás. Os pingentes são de cerca de duas polegadas de largura e doze polegadas de comprimento, e têm pedaços pequenos de chumbo, tudo sendo coberto com seda preta. O restante do pálio é feito de lã branca, parte da qual provem de dois cordeiros apresentados anualmente pelos Cônegos Regulares Lateranenses na Capela de São João, na festa de Santa Inês, solenemente abençoadas no altar-mor da igreja após a missa pontifical, e então oferecidas ao papa. A ornamentação do pálio consiste de seis pequenas cruzes negras – uma no peito, outra nas costas, uma em cada ombro, e uma em cada pingente. Os cruzamentos sobre o peito, costas e ombro esquerdo são providas de um laço para a recepção de um pino de ouro adornado por uma pedra preciosa. O pálio é usado sobre a casula (chasuble, a rica vestimenta litúrgica mais externa usada pelo clero para a celebração da Eucaristia).]“Após ter rezado a missa, ele marchou para o Palácio de Latrão, COBERTO DE OURO E JÓAS.  Na segunda feira, após ter celebrado a Missa em São Pedro , ele retornou, usando duas coroas, montado num cavalo ricamente ataviado, rodeado de cardeais VESTIDOS DE PÚRPURA,  e de numeroso clero. As ruas estavam cobertas de TAPEÇARIA COLORIDA, ENTREMEADAS DE [FIOS] DE PRATA E DE OURO, as mais nobres produções do Egito com as cores mais brilhantes da Índia, perfumadas com variadas essências  aromáticas”.  (George Waddington: “A History Of The Church, From The Early Ages To The Reformation”, 1834, p. 365).

A coroa do Papa Paulo II (1464-1471) era toda cravejadas de diamantes, safiras, esmeraldas, crisólitas e jásperes” (Ouseley, “A Short Defence”, 1821, p. 230)

A coroa do papa Júlio II foi avaliada em 200.000 ducados ou moedas de ouro. Isso corresponde a mais do que Paulo III deu ao Imperador Carlos V, para financiar toda uma guerra total contra os protestantes, no Século 16. (The History Of The Church, Miller, cap. 46). É também a mesma quantia do completo dote que o rei da Espanha deu para o casamento de sua filha Catarina com Arthur, o Príncipe de Gales, herdeiro do trono britânico, no Século 16.

A Igreja Católica Romana tem acumulado uma fortuna colossal através dos dízimos e doações que têm afluído para ela desde os confins da Terra.

Ela tem acumulado riqueza com a venda de ofícios clericais. A descrição seguinte das condições da Inglaterra, nos Séculos 13, 14 15 era a mesma em toda a Europa: “O papa de Roma era o supremo coletor de taxas sobre toda a Igreja Inglesa. Quem mais pagasse estaria seguro em seu lugar no mercado, quer fosse um pároco do campo ou o primado da Inglaterra; e o comprador, por sua vez, devia negociar o produto à frente, de modo que trouxesse uma porcentagem mais alta sobre o custo. Os preços mais elevados eram para os italianos, parasitas do papa, alguns dos quais, incapazes de falar uma única palavra em Inglês ou jamais tendo colocado os pés no solo inglês, mantinham 20, 30 ou até 50 ou 60 benefícios [lucros sobre paróquias? Salários?] na Igreja Inglesa. Por causa dos lucros obtidos, eles viviam na opulência em Roma, tendo acumulado enormes fortunas, apesar das grandes somas anualmente pagas ao tesouro papal”. (Conant, “Popular History of the Translation”, p. 7). [N.T. – Os políticos brasileiros, na maioria de origem católica, devem ter herdado suas mutretagens da Igreja Católica Romana].

A Igreja Católica Romana [também] acumulou riqueza através dos homens ricos, os quais, aconselhados pelos seus confessores,  internavam-se nos mosteiros, doando sua riqueza à igreja.

Ela [ademais] enriqueceu à custa das cruzadas. Os cruzados não apenas trouxeram muita riqueza e as doaram para a Igreja Católica Romana, como a própria Igreja Católica Romana proveu muito dinheiro para os cruzados, emprestando-lhes dinheiro.  Embora a usura [taxa de juros excessiva] fosse oficialmente proibida, a Igreja Católica Romana sempre conseguia um meio de contornar tal [proibição], tal como obtendo lucro fácil das terras dos cruzados, durante a ausência dos mesmos. (Jonathan Phillps – The Fourth Crusade, p. 96).

Ela [também] enriqueceu com a doutrina das missas celebradas em favor dos mortos, pelas quais os amados dos falecidos pagavam à Igreja Católica Romana para celebrar missas com o objetivo de retirar suas almas do (lendário) purgatório, sem falar dos ricos que deixavam suas heranças para a Igreja Católica Romana usar nas missas, em favor deles mesmos.

Ela [ademais] enriqueceu com a venda de indulgências, com a qual os papas construíram a Catedral de São Pedro em Roma.

Ela [também] enriqueceu com a Inquisição, pois não apenas detinha, prendia, torturava e queimava os “hereges”, como ainda lhes confiscava as propriedades.

A riqueza da Igreja Católica Romana é enorme. Nos anos 1970, o Vaticano já era a terceira “nação” mais rica do mundo, perdendo somente para os Estados Unidos e o Japão. [N.T. – Mas, agora, segundo o livro de Phelps (The Vatican Assassins, 1.200 pp.), com estes países indo à bancarrota, por obra e graça do dedo jesuíta], o Vaticano, mesmo a sendo a menor nação em área territorial, é a mais rica e poderosa do planeta]. Quando a isso é somado a riqueza das denominações protestantes apóstatas [que se submeterão à religião mundial, a prostituta] o total é espantoso [provavelmente a maior riqueza acumulada nas mãos de uma só pessoa e sistema ou nação, em toda a História]. A igreja prostituta é, materialmente, a mais rica  e, espiritualmente, a mais miserável do mundo!

Para maiores informações sobre a riqueza da Igreja Católica Romana e de algumas denominações protestantes apóstatas,  vejam o curso “A History Of The Churches”, no site da www.wayoflife.org.

[Que contraste com nosso Deus e Senhor Jesus, dono de todo ouro dom universo, aliás criador do ouro e universo, o Senhor da glória, mas que se fez o mais pobre dos homens! Que contraste com todos os apóstolos!

E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.” (Mt 8:20 ACF)

Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.” (Mt 10:8 ACF)

E disse Pedro: Não tenho prata nem ou mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.” (At 3:6 ACF)

Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre para que pela sua pobreza enriquecêsseis.” (2Co 8:9 ACF)]

9) – O CÁLICE DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

– (AP 17:4-c): e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição”.

O único cálice mencionado em conexão com as igrejas do Novo Testamento é o cálice da Ceia do Senhor.  Nas igrejas que [realmente] creem na Bíblia, este cálice, meramente simbólico, é feito de madeira, alumínio, vidro ou plástico. Mas a Igreja Católica Romana não se contenta com um ritual humilde, apenas simbolizando [sendo um simples memorial de] a morte de Cristo. Ela o converteu no glorioso espetáculo deslumbrante da transubstanciação da “hóstia” no verdadeiro, literal corpo e sangue de Cristo. E para este espetáculo deslumbrante o cálice combinaria melhor, sendo de ouro.

Até pouco tempo,  a lei litúrgica da Igreja Católica Romana exigia que o cálice (da Missa) fosse de ouro maciço, ou, pelo menos, folhado a ouro (Enciclopédia Católica).

Até o dia de hoje, o cálice papal é feito de ouro.

A Igreja Católica Romana possui milhares de cálices de ouro em suas igrejas, espalhados ao redor do mundo.

10) – AS ABOMINAÇÕES DA PROSTITUTA A IDENTIFICAM COM ROMA

 – AP 17:4-c: “… e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição.

De fato, a Igreja Católica Romana é cheia de abominações:

Sua missa, que ela afirma ser a repetição, sem derramamento de sangue, do sacrifício de Cristo no Calvário, é uma abominação.

“25 Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio; 26 De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.” (Hb 9:25-26 ACF)

“Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.” (Hb 9:12 ACF)

“10 Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. 11 E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecadores; 12 Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus,” (Hb 10:10-12 ACF)

“E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.” (Hb 6:6 ACF)

A “hóstia“ consagrada é chamada o corpo de Cristo, sendo adorada como o próprio Cristo, outra abominação.

Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.” (Êx 20:4 ACF)

“Eu sou o SENHOR; este é o meu no a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.” (Is 42:8 ACF)

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4:24 ACF)

“Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.” (1Tm 1:17 ACF)

“Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Sl 51:17 ACF)

Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim.” (Mt 15:8 ACF)

Sua salvação sacramental

[eles têm 7 (sete) sacramentos, definidos como um meio de conferir, manter e aumentar graça (salvadora), mas a Bíblia ensina o contrário disso, ensina que salvação é dada como dom gratuito, completa e definitivamente, no instante em que cremos e recebemos Cristo como tudo que a Bíblia diz (literalmente) dEle. A Escritura somente ensina MEMORIAIS (atos meramente para lembrarmos, sem contribuírem para salvação, sem concederem nenhuma graça), e eles são ORDENANÇAS, não sacramentos. Maiores detalhes em   http://robertodedeus.com/portal/sacramentos-falsos/

sua adoração a Maria [Mariolatria],

“27 ¶ E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste. 28 Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam.” (Lc 11:27-28 ACF)

suas orações aos santos,

;“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” (1Tm 2:5 ACF)

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vi ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (Jo 14:6 ACF)

“19 Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos? 20 À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” (Is 8:19-20 ACF)

sua doutrina do purgatório,

“1 ¶ PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. 2 Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.” (Rm 8:1-2 ACF)

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Jo 8:32 ACF)
“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (Jo 8:36 ACF)

“Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” (Jo 5:24 ACF)

“1 ¶ TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo 2 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.” (Rm 5:1-2 ACF)

“MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não peque e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.” (1Jo 2:1 ACF)

“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lc 23:43 ACF)

“21 ¶ Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. 22 Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher. 23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” (Fp 1:21-23 ACF)

“Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor.” (2Co 5:8 ACF)

seu caso de amor os ossos dos “santos” falecidos,

Para que não vos corrompais, e vos façais alguma imagem esculpida na forma de qualquer figura, semelhança de homem ou mulher” (Dt 4:16 ACF)>

E o espírito do Egito se esvaecerá no seu interior, e destruirei o seu conselho; e eles consultarão aos seus ídolos, e encantadores, e aqueles que têm espíritos familiares e feiticeiros.” (Is 19:3 ACF)

Agora lancem eles para longe de mim a sua prostituição, e os cadáveres dos seus reis, e habitarei no meio deles para sempre.” (Ez 43:9 ACF)

24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre 25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. 26 Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.” (Rm 1:24-26 ACF)

suas afirmações não bíblicas sobre o papa,

Ver   http://robertodedeus.com/portal/o-papado/

isso se constitui em abominação contra Deus.

11) – AS FILHAS/ AFILIADAS DA PROSTITUTA A IDENTIFICAM COM ROMA

AP 17:7 – a Mãe das prostituições”.

A prostituta do Apocalipse 17 é mãe de filhas muito parecidas com ela, em caráter. Estas também são prostitutas. As denominações protestantes que saíram de Roma, nos Séculos 16 e 17, retiveram algumas de suas doutrinas e práticas, tais como o batismo infantil, a eclesiologia estatal, o método alegórico de interpretar as Escrituras. E, nos últimos cem anos, [muitas delas] têm apostatado [até mesmo] da fé protestante [original], tanto que agora estão se filiando novamente à Mãe das abominações!

[Nota de Hélio: Mas houve alguns raros (raros!) exemplos de igrejas reformadas que, bem depois, foram honestas e bíblicas o suficiente para reconhecerem e condenarem alguns dos erros dos reformadores originais, intensamente rejeitarem a eclesiologia de igreja estatal, arrependeram-se das perseguições e dos assassinatos em massa de seus pais aos seus dissidentes (inclusive dos anabatistas), tornarem-se coerentes e estenderam o literalismo além da doutrina da salvação (por exemplo: para a doutrina da Escatologia (reconhecendo o Milênio literal), da Separação (fundamentalismo), e outras). Eu mesmo conheci alguns presbiterianos que repudiam muitos dos erros dos seus antepassados e jamais retornariam a Roma.

Creio que a igreja de Sardes tipifica as igrejas da Reforma:
“1 ¶ E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. 2 Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. 3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. 4 Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso.” (Ap 3:1-4 ACF)

Há, no meio de tantos que têm nome que vivem mas estão mortos, aquele remanescente dos salvos, mesmo tendo herdado alguns erros e não tendo coragem de romper com todos eles. Damos graças a Deus por estes, orando que progridam e rompam com todas as tradições de Roma.

Damos mais graças a Deus, porém, pelas igrejas que nunca se corromperam com os erros do bispo romano a partir do século 3 e dos papas romanos a partir do século 4. Como Cristo jurou, sempre houve igrejas verdadeiras, mesmo pequenas e perseguidas, através de todos os séculos 1,2,3,4, … até o arrebatamento dos salvos.]

12) – A VIOLÊNCIA DA PROSTITUTA A IDENTIFICA COM ROMA

 –  AP 17:6: “E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus”.

A Igreja Católica Romana tem assassinado milhões de pessoas. Ninguém até hoje conseguiu contar o número exato, embora ele tenha sido calculado em 50 milhões, conforme cuidadosos historiadores da Inquisição Católica, entre os anos 606 d.C. e o Século 19. (John Dowling, History of Romanism, 1847, Livro III, cap. 1, nota de rodapé 1). [N.T. – Conforme o falecido pesquisador de Catolicismo Romano, Dr. Aníbal Reis, ex-padre católico, numa conversa em nossa casa, este número seria de 500 milhões, incluindo as pessoas mortas nas guerras fomentadas pela Igreja Católica Romana].

A Igreja Católica Romana se embriagou com o sangue dos albigenses, dos valdenses, dos lolardos, dos anabatistas, dos protestantes, dos judeus, para citar apenas alguns. Somente nos países baixos [Holanda], depois da Reforma, multidões foram atormentadas e aniquiladas. Considerem os seguintes excertos de um registro das perseguições da Igreja Católica Romana, nos anos da década de 1520:

“A história dos países baixos, a partir desse tempo, está repleta de martírios, uma espécie de extermínio gradual da população. .. Os fogos já foram ateados em todo o país e feitos éditos com gradativo aumento da severidade, conservando-os queimando. Era caso de morte ler uma página das Escrituras; morte em se discutir qualquer artigo de morte em se possuir qualquer escrito de Lutero, de Zwinglio, de OEcolampadius [reformador alemão] (ou de qualquer outro reformado morte a quem expressasse qualquer dúvida contra a eficácia dos sacramentos romanos ou da autoridade papal.

No ano 1536, o bom e fiel servo de Deus, William Tyndale, foi estrangulado e queimado em Vilvord, próximo de Bruxelas, por ter traduzido o Novo Testamento para o Inglês e tê-lo impresso em 1535. … Cerca de 400 igrejas [reformadas, além das anabatistas] foram destruídas e apagadas em poucos dias… Às tropas foi ordenado que se  distribuíssem pelo país, a fim de que os éditos da perseguição fossem impostos [a ferro, fogo, e sangue]. Os protestantes foram reduzidos a grandes confinamentos, muitos foram mortos, e muitos fugiram do país.

No ano 1567, o cruel Duque de Alva foi enviado aos países baixos [Holanda], com um exército de 15 mil espanhóis e italian e a Inquisição devia se mostrar em todo seu poder. As igrejas de madeira eram derrubadas e incendiadas e, em alguns lugares, as vigas eram transformadas em grandes forcas, para nelas serem pendurados os ministros protestantes e seus rebanhos (Estas atrocidades contra os crentes bíblicos podiam] ser testemunhadas, quase diariamente, no país, durante quase 40 anos…

No ano 1567 ‘o concílio sanguinário’, conforme era chamado, reuniu-se pela primeira vez… Agora o sangue fluía em torrentes… um novo edito foi feito, fixando uma dura penalidade sobre os transportadores, carregadores e capitães de navios que ajudassem na emigração dos ‘hereges’. Os (inquisidores) haviam decidido que ninguém deveria escapar…

Em 19/02/1568, uma sentença do Santo Ofício condenou à morte como hereges todos os habitantes dos países baixos [Holanda]… Uma proclamação do rei [qual? O rei da Espanha?], datada de dez dias depois, confirmou o decreto da Inquisição e ordenou que o mesmo fosse colocado em execução imediata, sem considerar idade, sexo e condição. Esta é, possivelmente, a mais concisa sanção de morte já conhecida. Três milhões de pessoas – homens, mulheres e crianças – foram condenadas à forca, em três fileiras. Sob esta condenação universal, o leitor poderá ver o verdadeiro espírito do papismo e tudo que poderia esperar quem não mostrasse absoluta e cega submissão a todas as idolatrias e superstições da Igreja Católica Romana”. (Miller, The History of the Church, pp. 1002-1008).

Atrocidades semelhantes continuaram sendo praticadas contra os crentes bíblicos, em toda a Europa e em qualquer parte onde Roma estivesse no poder, inclusive na América do Sul, México, Filipinas e outras partes da Ásia. [N.T. – Tudo isso poderá se repetir, em maior escala de atrocidade, quando o Anticristo, apoiado por Roma, estiver no poder mundial].

A perseguição da Igreja Católica Romana não acabou. Uma perseguição sem precedentes [agora totalmente informatizada] será deslanchada contra os que seguem a Palavra de Deus, com renovada intensidade, pela prostituta do Apocalipse 17, apoiada pelo satânico poder do Anticristo.

13) – A ASSOCIAÇÃO DA PROSTITUTA COM A ANTIGA BABILÔNIA A IDENTIFICA COM ROMA

 –  AP 17:5: “E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra”.

Com este nome [Babilônia] a última igreja prostituta é conectada com a falsa religião estabelecida em Babel na história dos primeiros passos da humanidade (Gênesis 10:8- 9:1-9).  A prostituta é o resultado final da corrupção de Satanás da verdadeira religião, através dos séculos. A Babel antiga tipifica a Babilônia dos tempos finais, das seguintes maneiras:

Houve uma união [da humanidade, união] feita pelo homem
GN 11:1: “E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. De igual modo, a nota chave da Babilônia do final dos tempos será o “Ecumenismo”.

Houve engenhosidade e ambição humana no caso de Gênesis 11:4: “E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra”.[NT. – O mesmo acontece com a União Europeia, que construiu a sua Torre de Babel, em Bruxelas, com o mesmo objetivo de unificação]. Do mesmo modo, a Babilônia do final dos tempos gloriasse na genialidade e nos feitos do homem. A moderna Babilônia está erguendo, em vários lugares, estruturas impressionantes, dentro de um impressionante sistema religioso [de aparente união, tolerância, e paz].

Houve uma rebelião contra a revelada vontade de Deus [No caso da antiga Babilônia] (Gn 11:4). Ele havia ordenado à família de Noé se espalhasse pela Terra “ … frutificai e multiplicai-v povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela.”(Gn 9:1,7), mas seus descendentes optando por erigir a Torre de Babel, maquinação para fazer o exato oposto do que Deus queria e tinha lhes ordenado: “ Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.” (Gn 11:4 ACF) Mas a resposta divina para fazer Sua vontade ser cumprida, e dos revoltos ser frustrada, foi: “Eia, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro”. (Gênesis 11:7). Do mesmo modo, a Babel dos tempos finais está em franca oposição às Escrituras do Novo Testamento, pois os homens têm substituído a palavra de Deus pelas tradições [e palavras] humanas.

Houve orgulho. Os fundadores da Babel antiga disseram:  “Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra”. (Gn 11:4). A Babel dos tempos finais também é orgulhosa e soberba, com as suas catedrais impressionantes, sua pompa e circunstâncias, sua auto-glorificação, afirmando ser a sucessora dos apóstolos, e suas maneiras mundanas.

Houve idolatria. Babel foi o início das religiões idólatras de mistério. Seu desejo de edificar uma torre que atingisse o céu (Gn 11:4, acima) tinha uma conexão com a idolatria e a astrologia [adoração ao deus Sol, à deusa Lua e às estrelas]. Leiam Romanos 1:21-23). “21 Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. 23 E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.” (Rm 1:21-23 ACF). Roma também tem adotado muitas práticas idólatras, como a adoração à Rainha dos Céus (Maria) e a Missa com o seu mistério da transubstanciação, na qual o seu deus é sacrificado, diariamente, nos altares humanos.

CONCLUSÃO

À luz destes fatos que nos devem fazer pensar [e tomar posição e agir], é tempo de aguardar a volta de Cristo.  Em Romanos 13:11, lemos: “… Conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé

A Palavra de Deus nos admoesta claramente que a apostasia, iniciada nos tempo dos apóstolos, vai crescer, até que a definitiva prostituta do Apocalipse 17 esteja dando as cartas. Sabemos que o tempo urge. Vemos no Movimento Ecumênico, no Movimento Católicos e Evangélicos Juntos e no Movimento Carismático a profunda penetração da Igreja Católica Romana no sentido de conduzir a humanidade aos seus pés.

É tempo de ficarmos espiritualmente alertas, cheios de zelo pela obra do Senhor, totalmente engajados no Seu serviço.

Também é tempo de ser  salvo:

1 TS 5:8: Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação”.
Salvação é somente pela graça, através somente da fé, causada somente pelo derramamento do sangue de Cristo, e é sem obras nem sacramentos.
RM 4:4-6: “Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça. Assim também Davi declara bem-aventurado o homem a quem Deus imputa a justiça sem as obras…”

Caro leitor: Se você ainda não nasceu de novo, apresse-se em reconhecer e arrepender-se dos seus pecados, e em confiar exclusivamente no Senhor Jesus Cristo para sua eterna salvação. Não confie no seu batismo ou no ritual de igreja alguma. Não confie em qualquer boa obra que você esteja praticando ou tenha praticado. Não confie no fato que você nasceu num lar cristão [com pais verdadeiramente salvos, muito piedosos e dedicados]. Não confie no ministério de sacerdote ou pastor algum.
O Senhor Jesus admoestou: JO 3:3: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus,.” (e isto foi dirigido a um homem muito religioso, Nicodemos)Paulo ensina em EF 2:8-9: “Porque pela graça sois salvospor meio da fé e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”.
Abandone a  religião apóstata, indo para o Cristo ressurreto. Abandone o falso evangelho em busca do evangelho verdadeiro da graça de Jesus Cristo, para ser salvo, antes que seja, eternamente, tarde demais.

É tempo de discernir“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” (At 17:11 ACF). Nestes atuais dias de confusão espiritual e religiosa, mais do que nunca o povo de Deus precisa desejar com zelo ser como os bereanos, imitá-los, os emular. Precisamos obedecer à ordem de Deus: “ Examinai tudo. Retende o bem.” (1Ts 5:21 ACF)

É tempo de nos congregarmos [somente] numa igreja [local] forteNão deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” (Hb 10:25 ACF). A igreja [local] é o programa de Deus [o Novo Testamento não dá permissão para nada acima dela (como convenções, associações, ligas, uniões, presbitérios, etc., que sempre são dominantes, mesmo que o neguem com sofisticados ardis), nem para organizações paraigrejas e auxiliares de igrejas (mesma observação)] e o lugar do discipulado, do treinamento, do fortalecimento e da proteção espiritual. É perigoso negligenciar a frequência à casa de Deus. Devemos nos unir a uma igreja forte [mesmo que pequena] que verdadeiramente creia na Bíblia eterna e a pregue, que esteja comprometida exclusivamente com a Palavra de Deus, uma igreja que denuncie a heresia e a apostas e se separe destas.

É tempo de admoestar os outros. JD 22-23: E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento; e salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne”.
Todo cristão nascido de novo tem obrigação de pregar o evangelho, de “batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos”. (Judas 3), e de ardentemente tentar ajudar aqueles que estão fora do caminho.

É tempo de separação.  2 TM 3:5: “Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.”

AP 18:4: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas”

GL 5:9: Um pouco de fermento leveda toda a massa”.

1 CO 15:33: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes”.

Qualquer pregador e igreja que falem bem da Igreja Católica Romana e a ela se filiem, desobedecem a Palavra de Deus e devem ser evitados. Com tristeza, temos que reconhecer que isto inclui Billy Graham, Franklin Graham, Bill Bright e sua Campus Crusade for Christ, Chick Colson, James Dobson, Elisabeth Elliot, Jerry Falwell, Bill Hybels, D. James Kennedy, a National Association of Evangelicals, D. J. Kennedy, J. I. Packer, Louis Palau, Robert Schuller John Stott, Jack Von Impe, Wheaton College, Fuller Theological Seminary, The United Bible Societies [Nota de Hélio: no Brasil a SBB, Sociedade Bíblica do Brasil], Word Vision, Philip Yancey, e a Youth for Christ – para citar apenas alguns [que se amigaram com a prostituta de Roma]. [Nota de Hélio: no Brasil, as Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, Igreja O Brasil Para Cristo, Igreja Reformada do Brasil, e Igreja Metodista]

Escrito por David Cloud – “Rome and the Harlot of Revelation 17

Traduzido e adaptado por Mary Schultze

marybilia.com

Fundamental Baptist Information Service, P.O. Box 610368, Port Huron, MI 48061, 866-295-4143, fbns@wayoflife.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress spam blocked by CleanTalk.