Rabino afirma que várias profecias sobre Israel estão se cumprindo em nossos dias

Israel é a chave para a compreensão de inúmeras profecias bíblicas descritas no Antigo Testamento. O que acontece nesse país possui relação direta não apenas com o futuro dos judeus, mas também de toda a humanidade, algo que para o rabino Tuly Weisz é visível pelo cumprimento de algumas profecias em nossos dias.

“Acredita-se que o aumento na comunidade judaica tenha sido alimentado por membros que retornaram da diáspora (expulsões forçadas dos judeus pelo mundo). Além disso, a população judaica total chegou a seis milhões, trazendo um significado mais profundo, já que este era o número de judeus mortos no Holocausto”, disse Weisz.

O rabino se refere ao fato de que a população de judeus em Israel ultrapassou em 2018 o número de judeus que vivem fora do país, chegando a 6 milhões. Antes, a maior comunidade judia vivia na América. Para Weisz, esse é o cumprimento da profecia escrita em Ezequiel 34:13, como está escrito:

“Eu as farei sair das outras nações e as reunirei, trazendo-as dos outros povos para a sua própria terra. E as apascentarei nos montes de Israel, nos vales e em todos os povoados do país”.

Outra evidência de cumprimento profético em nossos dias é o apoio que o Governo Donald Trump está dando a Israel, o que tem fortalecido o país a se firmar como Nação, algo provado recentemente com a aprovação da Lei da Nacionalidade,  tornando o país exclusivamente judeu.

Para Weisz, essa ajuda vinda de não judeus, no caso, os cristãos em especial, foi profetizada em Esdras 6:14: “Eles terminaram a reconstrução do templo conforme a ordem do Deus de Israel e os decretos de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia”.

“Nos tempos bíblicos, foi o decreto de Ciro que permitiu que o povo de Israel retornasse à sua terra e reconstruísse o Templo”, explica o rabino, citando exemplos de não judeus que auxiliaram Israel, como citado pela Bíblia.

“Em 1917, foi a Declaração Balfour do governo britânico que virou a maré para os judeus no exílio. Da mesma forma, em 1948, quando o presidente dos EUA, Harry Truman, reconheceu o Estado de Israel. Nos casos de Ciro, Balfour, Truman e agora Trump, foram os não-judeus que serviram como agentes de Deus para facilitar o retorno do povo judeu à sua terra”, disse ele.

Finalmente, Weisz também destaca a reconstrução física de Israel como Estado, munido de espaço geográfico, infraestrutura, identidade cultural e poderio de defesa. Para ele, esse é outro cumprimento profético que sinaliza os últimos Dias do Senhor, conforme o livro de Isaías 51:3.

“O renascimento do estado judaico em 1948 trouxe consigo um desenvolvimento espantoso da terra. O deserto está literalmente florescendo e crescendo. Nos campos da tecnologia e cultura, Israel está entre os países mais avançados do mundo. De fato, estamos testemunhando o Senhor consolar ‘todas as ruínas’”, conclui, segundo o portal The Christian Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *