O diabo pode ouvir as orações e atrapalhar nossos pedidos?

O diabo pode ouvir as orações que fazemos em voz alta e atrapalhar nossos pedidos? Um amigo que é crente há muitos anos me disse que evita orar em voz alta para que o diabo não saiba o que ele está pedindo a Deus e atrapalhe o recebimento dos pedidos. 

Um dos grandes erros que muitos cometem nos dias atuais é andar por dois extremos: o primeiro é achar que o diabo não existe e que não tem poder para fazer nada. O segundo e achar que o diabo é todo poderoso como Deus é. Para chegarmos a resposta da sua pergunta, precisamos analisar o que a Bíblia fala sobre o diabo e os limites dele, de uma forma bíblica e equilibrada.

O diabo pode ouvir as orações?

(1) Sabemos que a Bíblia afirma claramente sobre a existência do diabo e mostra as suas várias formas de atuação para nos acusar e nos tentar. Mas esse tipo de ação dele tem limites. E os limites estão na vontade permissiva de Deus, ou seja, o diabo não pode ultrapassar o que Deus permite ou decreta, conforme vemos claramente neste texto registrado no livro de Jó: “Disse o SENHOR a Satanás: Eis que ele está em teu poder; mas poupa-lhe a vida” (Jó 2:6).

(2) Não temos na Bíblia qualquer ordem para não orarmos em voz alta por receio de uma resistência do diabo. O que a Bíblia nos ensina é orar. Jesus ensinou que deveríamos orar da forma o mais secreta possível, mas não por medo do diabo, mas para se afastar do desejo humano de sermos vistos e exaltados pelas pessoas: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Mateus 6:6).

Alguns usam uma fala registrada em Daniel para afirmar que o diabo pode ouvir as orações em voz alta e atrapalhar nossos pedidos: “Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia” (Daniel 10:12-13).

O que temos aqui é uma descrição das forças espirituais malignas tentando frustrar de alguma forma os planos de Deus (a resposta de Deus à oração de Daniel). No entanto, como observamos claramente, Deus envia o poderoso anjo Miguel para resolver a questão. Esse texto não mostra em nenhum momento que não se pode orar em voz alta por medo do diabo, mas sim que os planos de Deus não podem ser frustrados por ninguém. Temos claramente uma indicação de que o maligno tem suas formas de agir, porém, aquilo que Deus ordenou se cumpre.

(4) Gostaria também de pontuar que existe sim uma coisa na Bíblia que mostra que nossas orações podem ser atrapalhadas: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Isaías 59:2). O que verdadeiramente tem poder para atrapalhar nossas orações não é se o diabo pode ouvir as orações e fazê-las não acontecer, mas sim o pecado que nos separa de uma comunhão plena com Deus, ao ponto de até nossas orações ficarem prejudicadas.

(5) Dessa forma, concluo que não devemos ter qualquer medo ou receio de orar em voz alta. Não importa se oramos só na mente ou se oramos falando com Deus em voz audível. Isso não faz a mínima diferença, pois Deus é o soberano de nossas vidas e o diabo não tem o poder de transformar o sim de Deus em não e nem o não de Deus em sim. O poder que o diabo tem é o de nos tentar, de nos cercar, de tentar nos convencer a viver uma vida de pecado e distante de Deus, isso sim pode atrapalhar nossas orações, e é justamente a forma onde ele concentra sua ação na vida da maioria das pessoas. Não se preocupe se o diabo pode ouvir as orações em voz alta. Ore e esteja cada vez mais próxima de Deus: “Considere o que Deus fez: Quem pode endireitar o que ele fez torto?” (Eclesiastes 7:13).

Por Presbítero André Sanchez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *