Fruto do Espírito

Fiquei muito movido no meu espírito a compartilhar com você um pouquinho do que tenho escrito. Quero começar falando, aleatoriamente, de um a um dos elementos do fruto do espírito. Para você que lê a Bíblia vai ser bem familiar ou pode ser uma chance de entender, de verdade, as coisas que você sempre ouviu falar e nunca compreendeu tão bem. Mas, Renato, o que é fruto do Espírito?

Em Gálatas 5:22-23, há uma lista das características que começam a se desenvolver na pessoa que decide ser guiada pelo Espírito Santo que é Aquele que habita nos que já foram salvos. Ela se chama “fruto” porque é mesmo como o resultado de uma semente que foi plantada (a verdade de Deus) + o regar diário do Santo Espírito. Uma professora que tive ensinou algo que nunca esqueci: assim como uma macieira não precisa fazer força para produzir maçãs, os salvos não necessitam se esforçar pra produzir esse fruto. É natural!

Interessante destacar que, ao contrário do que alguns pensam, esses não são atos do Espírito Santo nos “possuindo” (feito os demônios fazem com as pessoas) e nos fazendo ter boas atitudes “à força” e sim atos do próprio espírito humano já transformado, recriado e amorosamente direcionado pelo Espírito de Cristo a ser uma fonte viva a jorrar justiça de Deus. Entenda “justiça” aqui não tão somente como um tipo de julgamento justo sobre alguém e sim como “boas ações”, o exato contrário do pecado.

O fruto do espírito se divide em nove desdobramentos vamos começar por um que tem sido muito especial pra mim: a LONGANIMIDADE.

LONGANIMIDADE

É o sinônimo da paciência. O significado livre da palavra de origem hebraica é “vagaroso em irar-se”, ou seja, alguém que demora para entrar em estado de ira, raiva ou rancor. Na versão grega da expressão (makrothymía), o significa literal seria “longura de espírito”.

São inúmeras as situações que nos fazer saber se já desenvolvemos longanimidade ou não. Só que as mais especiais são as que nos expõe a situações em que sentimentos de injustiça dominam nosso coração. Quer saber se é longânimo? Observe tua atitude quando o teu direito é desrespeitado, quando furam a fila, quando te acusam ou te ignoram…

Todas as pessoas têm sua forma particular de mostrar ira. Alguns optam pelos socos e chutes, outros pelas palavras ofensivas, outros pela vingança fria e calculada. Eu, particularmente, demoro a manifestar ira, mas sou de uma facilidade maior pra desenvolver ansiedade, inimiga maior da paciência. Tenho visto que esse elemento do fruto do espírito é remédio para ambas as coisas. Uma pessoa longânime não se apressa nem se atropela em quase nada.

Independente de qual seja sua tendência com relação à raiva, devemos buscar canalizar bem esse sentimento que nos estremece, como se quase que nos forçasse a tomar alguma atitude. Porque ações tomadas na ira podem ser, de fato, desastrosas… Contudo, melhor do que qualquer coaching que se proponha a treinar a inteligência emocional de alguém é o Espírito Santo. Como ele tem trabalhado em mim! Tenho trocado a ansiedade e a precipitação pela paz que só a longanimidade, ou seja, a paciência Dele traz.

Minha oração é para que Ele seja convidado a trabalhar em ti, nesse sentido, agora mesmo. Creia: você pode superar a raiva para ser sábio. Com Ele você e eu podemos ter um “espírito longo” para aguardar com ânimo o MELHOR tempo pra cada coisa. Inclusive, esperar pelo post sobre BONDADE rs.

BONDADE

JESUS não quis ser chamado de bom quando alguém se referiu a Ele como “bom mestre” em Mateus 10:18. No entanto, muitos se colocam no “lugar de bom” sem, de fato, ser. Basta ver os vídeos e as declarações de alguns indivíduos na época das eleições e veremos isso acontecer em larga escala.

Mas, por que o ser humano necessita aparentar ser bom e ser reconhecido pela bondade? Isso acontece por um motivo simples. Bondade gera a confiança do outro e abre portas para que se tenha inúmeros benefícios: sejam eles sociais, afetivos e até financeiros. Você, em regra, jamais rejeitaria alguém que é bom pra você.

Só que quero chamar sua atenção para a verdadeira benignidade, que é o elemento de hoje. A verdadeira inclinação para fazer o bem é uma virtude indissociável da presença do Espírito Santo em nós. Não há como uma pessoa cheia de Deus ser repetidamente levada pela crueldade e pelo desejo claro de prejudicar os outros, por interesses próprios.

Bondade é não ferir ninguém de propósito e fazer todo o bem de que somos capazes sempre que possível. Essa benevolência gera preocupação com os outros, interesse pelos necessitados (sejam eles próximos ou distantes), bem como produz uma corrente do bem, partindo de quem desenvolve esse traço do fruto do espírito. Seja o tipo de pessoa que consegue perder e sacrificar os próprios interesses pelo bem do outro porque bondade também se aprende.

Hoje é um bom dia pra exercitar BONDADE e, consequentemente, sentir ALEGRIA que é nosso próximo elemento.

ALEGRIA

Sábado é até pertinente falar disso que é simplesmente a nossa força! (Neemias 8:10) Não há como realizar, construir, reconstruir ou planejar se o chão da nossa vida for tristeza. Tudo só acontece se conseguirmos produzir esse elemento do fruto do espírito lá de dentro. Note que se pararmos pensando demais nas partes difíceis da realidade o único resultado será abatimento e até depressão podendo chegar à morte. Alegria é pensar e agir e AGIR positivamente, apesar de tudo.

Como tenho aprendido sobre isso… A verdadeira alegria, que vem do Senhor, não envolve circunstâncias, necessariamente. Ela vem do alto, vem da esperança de que o socorro virá por sobre os montes. Até porque aquele que nunca conheceu a tristeza, jamais reconhecerá a alegria quando estiver diante dela. Gandhi disse que a alegria mora na tentativa, no sofrimento envolvido na conquista e não na vitória propriamente dita.

Interessante também que a parte mais incrível disso passa justamente pelo outro. Acredito que o segredo da felicidade é saber encontrar alegria na alegria dos outros. Então, vamos fazer algo mais difícil do que chorar com os que choram? Vamos nos regozijar e cantar com os que cantam! Assim não haverá jamais lugar para inveja ou sentimentos negativos sobre o semelhante.

Tenha hoje mesmo, independente do que acontecer, um dia de alegria! Porque vamos falar sobre a paz.

PAZ

O quarto elemento do fruto do espírito que vamos abordar é uma palavra tão pequena, mas tão cheia de significado. Mais do que ausência de conflito é um estado pleno de tranquilidade. Uma benção que não pode ser mantida à força. Só pode ser atingida pelo entendimento.

A verdadeira paz é da mesma característica da “alegria” em certo sentido. Como falamos ontem, ambas não podem depender de circunstâncias. Se eu tiver uma paz que depende de quinze fatores externos, terei também quinze motivos para perder a tranquilidade toda vez que se desequilibrarem.

Algumas pessoas e algumas coisas por vezes já tiraram minha paz, mas tenho aplicado meu coração em carregar em mim a paz que excede todo entendimento, sendo o tipo de pessoa que consegue caminhar tranquilamente no meio do fogo de uma fornalha sobremaneiramente aquecida sem perder a estabilidade. O nome disso é resiliência.Paulo diz em Felipenses 4:7 que essa paz nos protegeria.

Que você possa aprender a ter isso. Quer ter paz? Perdoe, faça silêncio quando for afrontado, se finja de morto ao ser provocado, como Davi, passe como louco ao ser perseguido.

Dizem que quando você ganha uma discussão, aí é que você perdeu porque pode ter perdido alguém pra sempre. Há conflitos que não valem a pena vencer! Então, escolha hoje mesmo perder a guerra e ganhar a paz.

FIDELIDADE

Vivemos uma geração em que isso é cada vez mais raro. Num mundo onde reina a superficialidade, quase nada é profundo. Repare que nossos avós davam extremo valor a permanecer por longo tempo num mesmo emprego, num mesmo endereço, num mesmo casamento. Hoje raramente alguém cria raízes. Isso, infelizmente, abrange todos os relacionamentos que temos. O zelo pelas alianças e pelos relacionamentos é coisa rara.

Vemos pessoas infiéis a Deus só porque Ele sempre perdoa… Vemos pessoas infiéis aos vínculos (trabalho, igreja local, grupos diversos) porque “elas merecem o melhor” e o que mais temos visto é a infidelidade de um para com o outro! Segredos contados na atmosfera da extrema confiança são expostos sem o menor pudor, além de amizades criadas e desfeitas pela simples conveniência provam que o pensamento vigente é: “olha, eu estou fechado(a) com você, mas só enquanto isso me trouxer benefício”.

Só que um homem ou mulher que decidiu ser cheio(a) do Espírito não são seduzidos(a) por tendências como essa da atualidade. Eles desenvolvem o fruto e têm neles o elemento fidelidade. Essas pessoas são leais às alianças que foram feitas primeiro e não as trocam por qualquer vantagem numa “oportunidade”. Porque, se o fruto gerado pelo Espírito Santo no nosso espírito são os desdobramentos do amor, haverá fidelidade. Afinal, onde existe amor, a fidelidade não custa nada.

Tenho orado pra que Deus me torne, a cada dia mais, um homem fiel. Fiel não só em relação a um pacto feito com alguém ou com uma instituição, mas fiel inclusive nos horários marcados, nos combinados, nos contratos feitos, nos tratados estabelecidos… Seja essa sua oração também! Salmos 101:6 diz que Deus procura os fiéis da Terra! Ou seja, ele busca por pessoas dispostas a sofrer o dano só pra honrar a própria palavra. Pense nisso!

DOMÍNIO PRÓPRIO

Pecados repetidos, atitudes intempestivas, palavras indesejáveis, descontrole da forma física… Tudo isso é evitado na vida daquele que desenvolve a arte de manipular as próprias emoções, conseguindo fazer tudo o que acredita que é certo e evitando todo o mal que sabe que é errado. Esses conflitos da carne e da alma contra o espírito e seu fruto precioso eram sentidos até na vida do apóstolo Paulo, que disse em Romanos 7:19 – o bem que quero fazer não faço e o mal [que não quero] continuo fazendo.

A tendência humana de caminhar em direção ao mal é algo que de ser vencido todos os dias! “Comer dá sono e dormir dá fome”, a carne sempre nos pede descanso, nos pede sexo ilícito e nos empurra pra sermos egoístas em todas as situações.
Agora, o fato de ser ou não dominado por ela vai ser determinado pelo tanto que você já elevou seu espírito. É uma batalha DIÁRIA que separa os fracos dos fortes.

Não estou falando apenas de pecados de escândalo que realmente têm consequências mais visíveis. Num Reino onde é preciso vencer o pecado as pequenas coisas são nossas inimigas: aquela vontade de fazer aquele comentário malicioso pra denegrir a pessoa de quem se tem inveja, a vontade de comer mais quando já estou cheio, o olhar de cobiça pra pessoa proibida, tudo que nos separa de poder ouvir a Deus enquanto andamos pela rua ou quando nos levantamos pela manhã.

Acho que está chegando o tempo de você ler essas palavras e decidir potencializar de uma vez por todas as decisões importantes que você tem tomado na vida. Porque o que separa o ser humano do animal é justamente o fato de que um é controlado pelos instintos naturais e outro planeja atitudes. Qual seremos? Basta de viver aquém do que Deus tem e do que Deus quer. Sejamos o tipo de pessoa alto nível que faz inquebrável a caixa de princípios e rejeita tudo o que sabe que não deve.

AMABILIDADE

A característica do “ser amável”. É nela que se revela a educação e a cortesia de alguém. Essa virtude é como se fosse um lubrificante de motor dos relacionamentos, torna tudo mais fácil e faz fluir de forma leve, mesmo os mais desgastantes assuntos. Até a pior repreensão pode ser feita quase que sem dor se é realizada de um jeito amoroso.

Pessoas que não têm a ação do fruto do espírito em suas vidas não possuem esse elemento e geralmente são grosseiras e ríspidas em todas as tratativas. Elas fazem até mesmo as coisas simples de dizer do cotidiano parecer que uma “lapada”. Em Mateus 10:16, Jesus nos ensinou a ser prudentes como a serpente, mas também a ser simples como a pomba. Existem alguns animais que transmitem pelo olhar a mais pura docilidade. Olhe a feição de um pitbull e depois olhe pra um gatinho siamês e perceberá algumas diferenças… Assim que devemos ser para as pessoas ao redor. Capazes de, com nosso olhar, fazer com que a criatura mais dura se sinta amada.

Um filósofo oriental chamado Lao-Tse disse: “Amabilidade nas palavras gera confiança; no pensar gera profundidade, no dar gera amor.” Tudo que é feito com essa ternura conquista a pessoa em quem toca. Esse é o dom de inspirar amor. O elemento amor é o que falaremos por último, depois de amanhã. Ele é o sentimento enquanto que a amabilidade é o jeito de tratar alguém a ponto de que ela ACREDITE no meu amor. O que adianta ter um amor guardado debaixo de um casca grosseira? Jamais será sentido pelo outro… Sejamos geradores de sentimentos bons com palavras ternas, amáveis e cordiais.

MANSIDÃO

O penúltimo elemento do fruto do espírito que vamos falar antes de iniciar sobre as obras da carne é algo muito comum em quem já foi bastante provado e já entendeu que quanto menos “brigar”, mais perto estará de resolver algo.

Quem muito se agita acaba perdendo tudo, mas a Palavra nos diz em Mateus 5:5 que os mansos herdarão a Terra. As pessoas mansas, ou seja, que têm as rédeas das emoções nas mãos, não são abaladas diante da provocação alheia. Elas se mantém estáveis e equilibradas. Um dos homens mais mansos que conheço costuma dizer que não é como começa e sim como termina que realmente conta, refletindo sua paciência mediante as mais difíceis circunstâncias e adversidades.

Por mais que a natureza do teu temperamento possa ser definida como “pavio curto” tenha a inteligência de não atacar quem invade teu território. Indivíduos esquentados são geralmente vistos como nocivos e até perigosos. Os mansos não! Ninguém tem medo de alguém dócil. Talvez valha a pena ser um bobo consciente que não reage como seria esperado nem explode por qualquer coisa só pra que se possa ver nesse alguém o brilho de Jesus.

AMOR

Ah, finalmente o último dos elementos listados pelo apóstolo Paulo em Gálatas 5:22. Todos os outros, na verdade, dependem deste. Alguns defendem que “o fruto do espírito é AMOR, ou seja, alegria, paz, paciência, etc…” Por isso, deixamos esse por último.

Acredito que não há definição de amor melhor que a do mesmo escritor da epístola aos Gálatas, que se encontra em sua primeira carta aos Coríntios no capítulo 13: “Se eu falasse as línguas dos homens e as dos anjos, mas não tivesse amor, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine. Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de remover montanhas, mas não tivesse amor, eu nada seria. Se eu gastasse todos os meus bens no sustento dos pobres e até me entregasse como escravo, para me gloriar, mas não tivesse amor, de nada me aproveitaria” (continua).

Esse texto já inspirou canções no mundo todo em toda a história moderna, até mesmo no segmento chamado secular, que geralmente define as músicas que não rotuladas como “cristãs”. Afinal, temos ouvido sobre amor desde que aprendemos a língua materna. Amor não são palavras e nem é tão somente uma coisa que você sente. Você decide amar. É… E que coisa difícil em alguns momentos, não é? Sem dúvida nenhuma, só Deus pode nos capacitar a olhar nos olhos daqueles que nos fizeram males incalculáveis. O poder do Senhor e o amor que Ele implantou em nós, faz nascer caridade pelo que feriu aquilo que eu mais amava, a ponto de que eu me coloque no lugar dele(a) e consiga entender seus porquês.

Antes de Jesus morrer na cruz havia centenas de leis escritas em calhamaços de papel para que o povo de Deus – os judeus – seguissem. Porém, os Céus trocaram tudo isso pela lei do espírito e da vida que hoje faz parte de mim e de você. Agora, vá por aí AME e faça qualquer coisa… Que certamente, assim, você vai agradar a Deus e viverá a Graça que é, simplesmente, amor em movimento.

Por Renato Gabry

fb.com/renato.gabry

Artigo relacionado

“Obras da carne”    http://robertodedeus.com/portal/?p=4475

Biografia

Nascido no Rio de Janeiro, capital, Renato Gabry, veio para o interior onde cresceu aprendendo a amar o Senhor. Caminhando com Jesus na infância e adolescência descobriu seu chamado bem cedo. Na juventude, depois momentos de turbulência na vida espiritual voltou ao Caminho ainda mais apaixonado pelo Espírito Santo do que antes.

Aos 20 anos, um milagre. Sofreu um acidente e foi restaurado ao estar praticamente morto. Em coma e em falência de múltiplos órgãos teve a vida soprada por Deus em meio àquele vale.

Aos 23 anos, gravou o CD Meu Milagre com a música que escreveu após despertar do coma. Hoje, viaja de cidade em cidade contando o que Deus fez e divulgando as canções que recebeu naqueles dias da cura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *