História da Idolatria na Igreja

Ídolos e Imagens

A Igreja dos primeiros séculos não usava imagens (com exceção do símbolo do peixe, usado como logotipo e não como ídolo). As imagens entraram primeiro na Igreja para uso ornamental, no final do século III. Em 400 d.C., elas também eram usadas com propósitos instrutivos e só nos séculos seguintes essas imagens foram consideradas sagradas. Foram então aceitas para veneração pela Igreja Católica Romana no Concílio de Nicéia, em 787 d.C. e no de Trento, em 1.562 d.C.

De acordo com a Tradição Católica, quando uma pessoa ora ou adora uma imagem de santo ela está venerando o próprio santo, não a imagem. Esta explicação, embora convincente quanto pareça, não justifica a oração a uma imagem, porque Deus nô-la proíbe. Este fato tem sido entendido por muitas pessoas importantes na Igreja Católica. Sob a mudança feita pelo Papa João XXIII, muitas imagens foram retiradas das Igrejas. Este Papa e outros que o seguiram também tentaram cortar outras práticas idolatricas da Igreja, como carregar imagens em procissões.

Imagens de Quem?

Na maioria dos casos as imagens veneradas não são realmente imagens de santos, visto como não existiam câmeras fotográficas no seu tempo de vida, nem muitos deles posaram para pintores. A consequência óbvia é que muitas vezes as imagens são realmente dos modelos que posaram para os pintores. Muitos artistas criavam tanto artes religiosas como não religiosas com os mesmos modelos para ambas. Algumas vezes os modelos eram pessoas muito religiosas e também não religiosas. Em outras ocasiões os quadros mentais dos artistas é que determinavam como seria a aparência do santo. Isso é óbvio, quando se recorda a aparência pálida de algumas Madonas e em seguida a aparência das Madonas negras.

Uma senhora aprendeu que a imagem para quem o povo estava orando não era imagem de santo. Ao passear com o seu cachorro, ela passou pelo Atelier de um escultor. O artista correu, parou-a e lhe perguntou se podia cortar um pedaço da cauda do seu cachorro para fazer as sobrancelhas de um santo que ele estava esculpindo. Ela deu-lhe de boa vontade os pelos de que ele precisava. Enquanto ia andando, ela constatou que “estava indo ajoelhar-se diante dos pelos do rabo do seu cachorro”. Foi aí que ela parou definitivamente com a sua idolatria.

Imagens São um dos Assuntos Principais da Bíblia

O fato de que muitas passagens da Bíblia tratam de imagens torna óbvio que na opinião de Deus esta é uma parte importante. Já frisei muitas passagens do Novo Testamento, enquanto o assunto é vastíssimo no Velho Testamento, o que não dá para enumerar todas as passagens e dentre elas as mais importantes são as seguintes, e lendo-as podemos ver o que Deus pensa a respeito das imagens:Êxodo 23:24; 34:13; Levítico 19:4; 26:30; Números 33:52; Deuteronômio 5:8-9; 9:12-17; 16:21; 27:15; 1 Reis 14:9, 22-23; Salmos 78:58; 97:7; 106:19-20; 115:4-9; 135:15-18; Isaías 10:10-11; 30:22; 31:6-7; 42:8-17; 44:8-20; 45:20; 46:6-7; Jeremias 10: 3-16; Ezequiel 16:17-21; 30:13; Daniel 3:1-18; Oséias 11:2; 13:2-4; Miquéias 1:7; 5:12-13; Habacuque 2:18-20.

Imagens Pagãs

Outros tentam evitar o claro ensino de Deus, declarando de maneira autoritária que Ele está se referindo apenas a imagens pagãs e não a imagens “cristãs”. Entretanto, notamos que:

  • Moisés falando aos Hebreus, povo escolhido por Deus, e não a pagãos, disse-lhes que o Senhor não se tinha mostrado a eles, quando lhes tinha dado os Dez Mandamentos, por uma razão específica. Para que o povo de Deus não fizesse imagens dele próprio:…uma vez que nenhuma forma vistes no dia em que Yahweh vos falou no Horeb, do meio do fogo, não vos pervertais, fazendo para vós uma imagem esculpida em forma de ídolo, uma figura de homem ou de mulher… (Deuteronômio 4:15-16. Leia ainda os versos 17-29). O que foi proibido aqui não foi uma imagem pagã, mas qualquer imagem que o povo escolhido de Deus pudesse fazer do próprio Deus, ou de homem ou de mulher.
  • Deus louvou ao Rei dos Judeus, Ezequias, por ter destruído a serpente de bronze, que havia sido feita previamente por seu expresso mandamento, e a qual seu povo, depois de um certo período de tempo, começou a venerar. A Bíblia diz que ele fez o que agrada aos olhos de Yahweh, imitando tudo o que fizera Davi, seu pai. Foi ele que aboliu os lugares altos, quebrou as estelas, derrubou os postes sagrados, reduziu a pedaços a serpente de bronze que Moisés havia feito, pois os filhos de Israel até então ofereciam-lhe incenso; chamavam-na Noestã (2 Reis 18:3-4).

Imagens São Proibidas no Novo Testamento

O fim dos idólatras é o Lago de Fogo e Enxofre

Outros, tentando escapar dos ensinos da Palavra de Deus, proclamam que as imagens eram proibidas no Velho Testamento, mas não no Novo Testamento. A fraqueza fatal desse argumento é que ele não é verdadeiro. O Novo Testamento fala um bocado sobre imagens e sempre contra elas, exatamente como o faz o Velho Testamento.

Uma das primeiras passagens escritas no Novo Testamento está em 1 Coríntios 10:14: Meus bem amados, fugi da idolatria. O tema corre fácil no Novo Testamento. Também o encontramos na 1 João 5:21, um dos últimos livros escritos no Novo Testamento: Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.

Além destes versos mencionados existem outros muito numerosos para serem citados aqui, mas encorajo você a dar uma olhada neles, mais ou menos através de todo o Novo Testamento: 1 Coríntios 6:9; 10:7; 12:2; Atos 7:39-42; 17:16-29; Romanos 1:23; 1 Pedro 4:3; Apocalipse 2:14; 9:20; 21:8 e 22:15.

Fonte: Mantenedordafe

 Grifo meu:

Leia a Bíblia e mude a sua vida, aceitando Jesus como seu único Senhor e salvador, conforme está na Palavra de Deus.

 Acorda povo católico.

 

You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe o seu comentário, ele será bem-vindo

Powered by WordPress | Designed by: Premium WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Bromoney and Wordpress Themes